14FEV2011

Férias: recomendações para viagens de crianças e adolescentes

Durante o período de férias, a rotina diária de crianças e adolescentes, inclusive de alimentação e hábitos, muda; especialmente se ocorrem viagens. Alguns cuidados podem prevenir e garantir férias sem contratempos.

Vacinação

De acordo com o destino da viagem, deve-se consultar o pediatra para avaliação das possíveis doenças endêmicas do local para onde a família vai. Conferir o cartão de vacinas é mais que necessário. Por exemplo, se a viagem for para o Norte e/ou Centro Oeste do país, a vacina de febre amarela deve estar em dia.

Alimentação e prevenção de diarreia

Cuidados com a alimentação são importantes e dentro do possível é importante manter o esquema habitual da criança. A ingestão de alimentos crus, maioneses e molhos brancos deve ser evitada, pois esses alimentos são fontes frequentes de contaminação e diarreia infecciosa. Para o trajeto da viagem, é interessante levar pequenos lanches para as crianças, em caso de atrasos ou outras intercorrências. Antes de colocar o ?? pé na estrada?, é prudente realizar uma avaliação pediátrica das crianças, atualizar as doses de medicamentos como anti-térmicos e antialérgicos.

Cuidados durante o voo

Se a viagem for de avião, algumas recomendações são importantes. Durante o voo há alteração da pressão atmosférica e queda da pressão barométrica. Com isso, ocorrem diversas alterações dentro do organismo. A mais frequente é a dilatação do ar contido no ouvido médio, que procura escapar. Durante esses períodos de ??pressão no ouvido? naturalmente fazemos manobras de pressão tampando o nariz, engolindo ??com força?e /ou abrindo a boca. Para crianças maiores , mastigar chicletes sem açúcar ou chupar balas sem açúcar pode ajudar. Os bebês podem amamentar ao seio materno e os maiores tomar água ou sucos na mamadeira e /ou chupar bicos.

Resfriados e outras Doenças respiratórias

Uma regra a ser observada, principalmente para as crianças mais novas, é a de não viajar de avião resfriada. O muco pode obstruir ou impedir a equalização da pressão do ouvido médio, causando zumbidos, surdez e dores. Pode também ocorrer o transporte pelas bolhas de ar, que vão para o ouvido médio, de gotas de muco infectado para dentro do ouvido, desencadeando um quadro de otite média aguda, com sintomas de dor, febre, surdez e latejamento lancinante.

As repostas normais do organismo contra as doenças respiratórias ficam alteradas. Pessoas com infecções pulmonares ativas contagiosas, não devem embarcar. Pode ocorrer agravamento dos sintomas, complicações durante e após o vôo, Além disso, há o risco de disseminação da doença entre outros passageiros.

Crianças e adolescentes com crise de asma grave e instáveis ou pós hospitalização recente, devem se recuperar antes do voo.

Gesso e fraturas

Crianças e adolescentes com fraturas instáveis ou não tratadas não devem embarcar. Pode ocorrer compressão do membro afetado pela expansão normal de ar na cabine durante o voo . O uso de gesso bivalvulado deve ser avaliado.

Recém-nascidos

O ideal e prudente seria aguardar cerca de duas semanas após o nascimento e só então viajar. Existem algumas malfomações congênitas e /ou doenças que se apresentam após o nascimento e que podem prejudicar o recém-nascido durante o voo.

Cuidados com a exposição solar

O excesso de exposição solar causa problemas imediatos como queimaduras , desidratação e indisposição. A exposição a longo prazo tem aumentado a incidência das doenças, normalmente associada ao câncer de pele. Por isso, é imprescindível o uso do filtro solar. Como a criança, em geral, permanece longos períodos nadando e,devido às atividades físicas, transpira mais, a reaplicação do filtro solar deve ser realizada frequentemente. A exposição solar no horário de 10h às 16 horas, deve ser evitada.

Mais informações:
VFazitto Comunicação
Telefone: 3463 43 81 ?? 9975 35 03
BH - Janeiro de 2011

Fonte:
Dra. Raquel Pitchon dos Reis ?? vice-presidente da Sociedade Mineira de Pediatria e Coordenadora Científica do Pronto Socorro do Hospital Mater Dei



Própria - 14/02/2011

Rua Tupis, 38, sala 1006, Centro, CEP 30190-901, Belo Horizonte, MG, Tel: (31) 3463-4381